segunda-feira, 24 de março de 2008

Poesia na Lua 2


SONHETO

Ela trazia nas ruas das suas rugas
Segredos que duravam a sua fuga
Bebia e fumava e depois se seduzia
Nas silhuetas do fôlego que expelia

Do seu amor-próprio caíam desejos
Rolando em bolas de flor sedentas
Curiosas abrindo-se em falsolfejos
Febris e doentias as suas crenças

Caiu o véu e o dedo vagou o interior
Húmido acudia não o cheiro dantes
Mas o vício preso na ruga dos dados

Na montra as narinas miravam o pior
Farejando curiosas os odores andantes
Sonhando com os sentidos excitados

Sem comentários:

Textos Exilados

POEMAS DA COLETÂNEA - TERRA DILECTA  - CAMINHOS CANTANTES -  NÃO PUBLICADOS 1 Julho de remotos Julhos. Cíclicos Julho...