Educação


EDUCAR É TRAÇAR O EMPODERAMENTO DURÁVEL DA COLECTIVIDADE

Nestes últimos anos o governo tem desenvolvido eficientes e duradouras medidas estruturantes criando as bases essenciais de apoio à Transformação do País com base na promoção educacional e do desenvolvimento científico. Graças a elas os cabo-verdianos vêm conquistando avanços que os qualificam aos olhos do mundo em vários sectores de actividade.

A melhoria do patamar já alcançado continuará exigindo a adopção de novas acções do governo, da sociedade civil que propiciem estratégias modernizadoras e maior estabilidade à cidadania, especialmente amparadas no investimento prioritário em inovações educacionais e em outros sectores sociais em que a problemática do emprego passa também pela formação profissional, claramente configuradas nos planos opcionais da governação do PAICV.

É clara a orientação e o seguimento de um projecto integrado e de desenvolvimento da educação sustentável, que leva em consideração o foco na desconcentração social do conhecimento, havendo o empenho empreendedor de se criar um sistema de formação profissional sustentada como forma do enraizamento do emprego duradouro com reflexos na boa educação para a cidadania.

O papel dos parceiros sociais na luta contra o desemprego e a pobreza; o diálogo com os parceiros sociais da educação, da concertação social, com as empresas, com as fontes de financiamento das infra-estruturas etc; a formação de formadores para a formação profissional; a reabilitação e a valorização dos centros de formação profissional, dos centros de emprego, dos pólos educacionais e das escolas técnicas; a constituição do Fundo de emprego e de Formação; a infra-estruturação pensada e calibrada em curso no país são acções concretas de resultados concretos.

São grandes intervenções que marcam o estado actual do processo de ampliação e do fortalecimento do sistema do ensino e do mercado de trabalho.

A saúde, o trabalho, a educação, a solidariedade, a cultura e a ciência vêm vencendo barreiras, mas para tanto, requerem alta qualificação e por isso o esforço firme e seguro desta governação em promover o aparecimento de um grupo multidisciplinar de profissionais de primeira linha, no NOSI, na UNIV CV, na Justiça, na Diplomacia, nos Hospitais ou nas Autarquias etc. e, é bem por isso, a extraordinária mobilização em reformar e fortalecer os sectores educacional, científico, cultural, social e económico; por isso essa busca incessante de parcerias estratégicas capazes de dar conteúdo eficaz e sempre renovado ao almejado avanço do conhecimento, da competitividade e o empoderamento das populações.

Nos sectores da educação e da formação profissional há grandes avanços, há um grande empenho e profissionalismo da parte dos seus promotores, há sobretudo a aposta forte da Ministra Filomena Martins e dos seus leais colaboradores (técnicos e docentes) em levarem ao alcance da maioria um mundo fascinante através do conhecimento, criando, a partir dos estabelecimentos de ensino o esqueleto do cidadão inteiro.

Em termos de opção, isto significa procurar avaliar as principais tendências em curso nos campos económico, social, político e cultural e seus possíveis desenvolvimentos. Significa ainda examinar as políticas macro económicas, as políticas económicas sectoriais, as políticas sociais, as políticas de reformas, as políticas da ciência e da tecnologia e as políticas culturais.

Em termos práticos, isso significa completar, capacitar e elevar a produtividade e a competitividade dos nossos processos produtivos, ganhar novos mercados, qualificar as relações e as condições de trabalho, distribuir a riqueza, aprofundar as políticas de preservação do meio ambiente e estimular a participação cidadã nas esferas da decisão pública. Significa nutrir a auto-estima.

Está-se a trabalhar na lógica do lavrador que é capaz de arar, apurar a semente e semear, para depois ensacar o fruto.

Educar é traçar o empoderamento durável do país.

Praia, 01 Nov 2005 - Kaka Barboza



Depoimento

LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA CABO VERDE PROSA LITERÁRIA PÓS-INDEPENDÊNCIA DEPOIMENTO     Caro confrade Jorge Carlos Fonseca, poeta...