segunda-feira, 30 de novembro de 2009

DISCO URSO 3


Oração aos meus felicitantes do Liberal Online


Cabra Preta milagrosa, que pelo monte do fogo subistes, trazei-me todos os meus felicitantes, todos esses católicos, cordeiros de boa língua, que andam a pintar-me e a acariciar o meu nome nos jornais e na praça pública.

Todos eles, sem distinção, macho e fêmea, assim como canta o galo, zurra o burro, toca o sino e berra a cabra, assim hão de um dia chegar à minha igreja, para com gestos hipócritas, língua oculta, mãos unidas e de desculpas em desculpas ajoelharem aos pés da cruz gamada.

Cabra Preta milagrosa, assim como Caifás, Satanás, Ferrabrás, fazei com que esses cordeiros se dominem, para que caiam feito lesmas, presos ao lodo do seu sangue, debaixo do pé do monte em fogo.

Esses filhos de boa gente, filhos do céu não hão-de de lhes faltar a vontade de continuarem a trilhar o trilho que sonharam; com sede hão-de ficar e de acabar no deserto das suas bondades; de lança, de forca e fogo serão aliviados no altar da sua timidez; Luz e mais luz hão de enxergar, e jamais às trevas seguirão com os poderes da Cabra Preta milagrosa.

Odiosos e inimigos do homem, com dois, eu vos vejo, com três, eu vos prendo; com Caifás, Satanás e Ferrabrás, eu vos destino para as trevas.

Eis esta oração, rezada com uma faca de ponta em fogo na mão direita e diante de um prato de cera negra em líquido, para atiçar mais a vossa esperança de partir, e vos afastar de vez do convívio dos sãos, nos lares, nas ruas e em todos os espaços de domínio público.

Confio os poderes á Cabra Preta Milagrosa. (kb)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

DISCO URSO 2


Fonte: JORANAL DA HIIENA. MUITO GIRO.

A BIGORNA DURA MAIS QUE O MARTELO

Claro que todos nós possuímos uma ponta de malcriadez dentro, para sair na hora certa.
Burro la undi ki é dabu kôxi é la ki bu ta xinta-l pó. É uma máxima de Santiago. A malcriado responde-se com malcriadez. Seja quem for e onde quer que seja.


Fui interrompido abruptamente pelo malcriado Dr. deputado Djon Djini do MpD que se assenta na fila atrás de mim. O Presidente da Mesa advertiu-lhe que não lhe tinha passado a palavra, e que não interrompesse o orador.
Ele continuou, desonrando o Presidente da Assembleia com palavras e gestos, coisa não vista e nem ouvida porque o micro dele estava fechado. Limitei-me a dizer É PA DÁDJI NA EL?… ou seja é preciso bater nele para se calar?
Nisto o Deputado do MpD ao lado – Clemente Garcia - ameaçou-me com uma cadeirada, também não ouvido por não ter o micro aberto. Respondi-lhe na mesma linha pondo-me no ar para todos os ouvintes. Este deputado ameaçou-me ainda de que ele é badiu, como se ser badiu categoriza-lhe para ser um valentão. É estranho isso. E foi isso. Orelha e juizo de cada um.

Posto isto, o Liberal Site tomou conta do assunto (embora truncado, mas é o que lá esta) e deu no que deu. Um episódio que teve o impacto que teve como demonstram as reacções havidas no seio da família emepedemia, tanto mais que os comentários de toda a sorte feitos a meu respeito (15 páginas imprimidas) dizendo coisas incríveis, ilustra a estima que tem por mim. Mas, saí engrandecido, e enriquecido o meu curriculum.
Se eu fosse um narcotraficante, de mim nada diriam, temendo represálias. Todos os que me agraciaram com o charme das suas palavras são católicos e crentes em Deus, impolutos e filhos de boa gente. Se calhar não sabem que sou descrente e sem Deus. Que prefiro ficar e morrer com o Diabo do que juntar-me a eles, ajoelhar e curvar ante o seu altar. Prefiro ser este famoso malcriado do que ser desleal.
Pois, com esta alma fria que hoje possuo, esfriado pelo tempo que corre e pelos anos de vida que sobre ela pesam, entenda-se, uma alma fria que nem um mosquito venenoso, jamais sinais odiosos a convence.

Continuo por aí, andando os meus pés por este chão profanado, a fazer o que devo fazer e a dizer o que tenho para dizer ciente de que vivo o meu ciclo. Um dia, sim, terminarei a minha aventura pelas ilhas, e quando acontecer, aconteceu. E não quero labregos em meu redor, nem badius nem sampadjudos kul. Gente amiga apenas.
Mas creiam em mim. Não sou malcriado. Rebelde, sim. Intolerante às vezes. Até lixóde pa kagá. Mas louco pelas minhas convicções e maneira de ser.
A hipocrisia que aqui se vive fez alojar num canto da minha cabeça a mania de feder tanto depois de morto, que nem DEUS nem Diabo passarão por perto para enxergarem a minha identidade.
A estrada para o inferno está calçada de boas intenções e não será por aí o meu rumo. (Kb)

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O DISCO URSO


Mesmo que comêssemos toneladas de MANDIOCA MACHO não éramos capazes de, claramente, nos dirigirmos àqueles que andam a "KOMER" a nossa sociedade.
Eu já tirei as minhas conclusões.
"Discurso do 1º Ministro Australiano.
Aos Muçulmanos que querem viver de acordo com a lei do Sharia Islâmico foi-lhes dito muito recentemente para deixarem a Australia, no âmbito das medidas de segurança tomadas para continuar a fazer face aos eventuais ataques terroristas.
Aparentemente, o Primeiro-Ministro John Howard chocou alguns muçulmanos australianos declarando que apoiava agências-espiãs encarregadas de supervisionar as mesquitas da nação.
Citação:"OS IMIGRANTES NÃO-AUSTRALIANOS, DEVEM ADAPTAR-SE.
É pegar ou largar!
Estou cansado de saber que esta nação se inquieta ao ofendermos certos indivíduos ou a sua cultura. Desde os ataques terroristas em Bali, assistimos a uma subida de patriotismo na maioria do Australianos. A nossa cultura está desenvolvida desde há mais de dois séculos de lutas, de habilidade e de vitórias de milhões de homens e mulheres que procuraram a liberdade.A nossa língua oficial é o Inglês; não é o Espanhol, o Libanês, o Árabe, o Chinês, o Japonês, ou qualquer outra língua.
Por conseguinte, se desejam fazer parte da nossa sociedade, aprendam a nossa língua!A maior parte do Australianos crê em Deus. Não se trata de uma obrigação cristã, de influência da direita ou pressão política, mas é um facto, porque homens e mulheres fundaram esta nação sobre princípios cristãos, e isso é ensinado oficialmente.
É perfeitamente adequado afixá-lo sobre os muros das nossas escolas. Se Deus vos ofende, sugiro-vos então que encarem outra parte do mundo como o vosso país de acolhimento, porque Deus faz parte da nossa cultura. Nós aceitaremos as vossas crenças sem fazer perguntas. Tudo o que vos pedimos é que aceitem as nossas e vivam em harmonia e em paz connosco.
ESTE É O NOSSO PAÍS, A NOSSA TERRA, E O NOSSO ESTILO DE VIDA.
E oferecemos-vos a oportunidade de aproveitar tudo isto. Mas se vocês têm muitas razões de queixa, se estão fartos da nossa bandeira, do nosso compromisso, das nossas crenças cristãs, ou do nosso estilo de vida, incentivo-os fortemente a tirarem partido de uma outra grande liberdade autraliana: O DIREITO de PARTIR. Se não são felizes aqui, então PARTAM.Não vos forçamos a vir para aqui. Vocês pediram para vir para cá. Então, aceitem o país que vos aceitou".



terça-feira, 10 de novembro de 2009

MANDIOKA PORNO


Tendo a ilha do Fogo o chão mais erótico das ilhas,
este tuberculo musculado lembra o Duduta-Militar que distinção recusou em nome do seu matxundadi. (kb)

Muros & Muros


Para quê festejar a queda do Muro Politico
se encima do muro da desgraça vive gente assim... não europeia, claro.
Fingir de colôlos na festa dos 20.




quinta-feira, 5 de novembro de 2009

DEPOIS DISTO... COMO SERÁ?


Quem leu o que eu disse no post OBRAR AO AR LIVRE viu ou sabe o que eu estava a dizer.
E a epedemia que mata chegou. E agora vamos todos agora limpar, combater o mal porque a sociedade está com medo. Mas, digo. Não precisamos de medo. É preciso que sejamos cidadãos e façamos da rua e dos espaços livres, áreas cidadãs, ruas cidadãs, enfim, ser-se cidadão inteiro e não indivíduo bicho.
Aposto que a cidade da Praia e outras localidades vão ficar limpas durante seis mesês, para depois voltarem a ficar como dantes, porque há gente que não muda senão com forte repressão.
Será que nascemos para nos divertirmos com coisas sérias?
Com a gripe A - brincamos - SUKUDIM DJAM BEM.
Com a Dengue - brincamos - Ferro Gaita.
Agora calaram-se os brincalhões porque a coisa é séria de mais.
Quero ver os brincalhões em campanha nos seus bairros.
(Kaka Barboza)

sábado, 24 de outubro de 2009

AYAN KOKA GÓ!

KOKAÍNA YA!

AYAN KÓKA GÓ!


E.... ESTAVA ASSIM A PRAIA

E... ESTAVA ASSIM A BARRAGEM (Para transbordar falta 1,5mts)


E ESTAVA ASSIM PICOS

E... EU, KÁ, AKI




quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Uma Opinião

ESCUTA AQUI SEU MACACO.
FALO AQUI DO MEU QUINTAL.

NÃO VENDO A MINHA CONSCIÊNCIA A UM PARTIDO QUE TRANSFORMA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DESTA SELVA NO SEU QUINTAL.
NA QUALIDADE DE SANTXO NÃO ADMITO A COMPANHIA DE MACACOS .
FICA SABENDO QUE SANTXO E MACACO NÃO SÃO A MESMA COISA.

OBRAR AO AR LIVRE

Já sei. Muitos vão dizer...é que não há condições, não há sentina pública, os desgraçados não têm casa de banho, etc. etc. Mas um gajo deve ganhar o hábito de defecar no seu devido e respetivo lugar. Cagar em dodote de adulto podia ser uma das soluções em que a CMP podia apostar, em lugar da caras sentinas públicas ou casas de banho em casa de cada um.
Vamos e venhamos. Obrar ao ar livre é um espectaculo. É a maior sensação de liberdade autentica que um indivíduo pode experimentar.


Agora eu, nós que futingamos pela manhan cedo todos os dias, somos obrigatoriamente confrontados com o perfume desta coisa que tem vários nomes em crioulo " KÂGÂ" por exemplo, imposto por aqueles que se educam obrando em qualquer lado e mais do que uma vez por dia.
Porra! Que coisa! Mas o que vou contar é verdade, verdadinha.
Tinha acabado de tomar o café. Fui a pé para a agencia da CECV na Achada Stº António. Como sempre trazia comigo bom cheiro de casa. Ao aproximar-me da entradinha que é (nem beco, nem viela, nem travessa, nem rua) uma passagem clandestina que separa a vedação do largo que rersolveram chamar Plaza Park e o espaço dianteiro da dita agencia, deparei-me com um cheiro rescendido, quer dizer cheiro a púpú amanhecido no balde diluido em urina de várias idades. Meti logo a cara no meu sovaco tapado pela camisa. Parecia que eu ia vomitar. Mas a minha boca de estômago é cadeado forte. Apressado, a tremenda topada na pedra da calçada mais saliente não me derrubou graças ao treino matinal. Acertei o passo, indo direitinho à entrada habitual. Pressionei a porta. Mas estava bem trancada. É que tinham mudado o lugar de entrada. Entrei. Irritado, voltei a sair para tirar do 24 o valor que devia depositar na conta CECV. Lá estava aquele cheiro implacável de novo a liquidar-me o juizo.
Estando dentro, tempo que esperava a chamada pelo 13, lembrei-me da entrevista do Dr. Rosa sobre a virose que passeia pela cidade. Disse para uma amiga que estava a meu lado. Esta virose que anda por aí, não é uma epedemia que mata. Mas ela há-de-vir um dia se as pessoas continuarem a fazer da rua, rua do despejo. Não há Dr. Rosa nem Drª Espinho que nos livra da matança. Primeiro os meninos depois o resto. Os presentes uns 8/9 todos me olhavam. O 13 não respondia e o 14 não quis antecede-lo por respeito talvez. Agradeci o gesto. (Kb)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

FUMO VERDE


ESTE CIDADÃO ESTÁ SENDO TRABALHADO PARA SE ASSUMIR COMO CANDIDATO A PRESIDENTE DA REPÚBLICA APOIADO PELO MOVIMENTO.....
M de Mãe, P de Pai e D de Deus.
(Kb)

POR UMA IGREJA MAIS FELIZ

"" A decisão do Papa Bento XVI de criar uma estrutura especial para acolher anglicanos descontentes apanhou de surpresa até os meios religiosos. A possibilidade de padres casados entrarem na Igreja Católica promete polémica dentro e fora do Vaticano.

Em Roma, o cardeal William Joseph Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, anunciava ontem, em conferência de imprensa, que a Igreja Católica está pronta a abrir a porta aos anglicanos: "Será publicada proximamente uma Constituição Apostólica assinada pelo Papa Bento XVI para responder aos numerosos pedidos junto da Santa Sé de grupos de religiosos e de fiéis anglicanos, oriundos de várias partes do mundo que querem entrar em plena comunhão com a Igreja Católica".

Em Londres, em simultâneo, e num sinal de unidade para evitar desconfianças, o arcebispo católico de Westminster, Vincent Nichols, e o bispo anglicano da Cantuária, Rowan Williams, liam uma declaração conjunta na qual se mostravam de acordo: "O anúncio põe fim a um período de incerteza para muitos grupos que nutriam esperanças de novas formas de abraçar a unidade com a Igreja Católica".

A Santa Sé diz que são "dezenas de bispos e centenas de fiéis" que pedem adesão. A ordenação de mulheres e as divergências na visão sobre a sexualidade humana, designadamente a admissão de padres homossexuais, são as razões levantadas por muitos.

Será criada uma estrutura especial - os ordinariatos pessoais - que permita aos anglicanos que se tornam católicos manter a identidade e especificidade espiritual próprias. A forma como isso será feito consta da Constituição Apostólica que Bento XVI publicará dentro de dias.

O que já é certo é que estas estruturas contarão com os seus próprios bispos e sacerdotes. E nas adaptações, os pastores anglicanos casados poderão passar a ser presbíteros da Igreja Católica. O mesmo não acontecerá com os bispos, que não poderão ser ordenados se forem casados.

Para o teólogo Peter Stilwell, a decisão é correcta ainda que um pouco "confusa". "Por um lado resolve a questão de fundo da falta de padres católicos e dos direitos das comunidades aos sacramentos, por outro, não é clara a excepção para alguns".

Para o bispo anglicano Fernando Soares "a decisão é bem-vinda" ainda que "estranha". "Como é que a Igreja Católica pode aceitar padre casados e não permitir que os seus não se possam casar?". ""
(Aqui na terra das ilhas há muito que convivemos com padres acasalados, e foram excelentes padres e bons pais de familia. É mais um exemplo dado ao mundo.Kb.)

terça-feira, 20 de outubro de 2009

VACA VACINADA


O pior nem sequer é a ganância desenfreada.
O pior é que a VACINAÇÃO COMPULSIVA faz parte do plano da rápida diminuição da população do planeta! Um entre mil pessoas que tomam a vacina morrem da vacina, enquanto da gripe apenas morre um entre 5.000.

Pior porém é que mais de 20% dos que tomam a vacina ficam com lesões cerebrais permanentes ou outros danos causados como efeitos secundários, como infertilidade.
Sabe que o vírus da gripe suina foi descoberto há 9 anos no Vietname?

Sabe que desde então morreram apenas 100 pessoas EM TODO O MUNDO durante estes 9 anos?

Muitas mortes de gripes normais e pneomonias são simplesmente atribuidas ao virus da gripe suina sem verificação. Sabe que os americanos foram os que informaram acerca da eficácia do TAMIFLU (antiviral humano) como preventivo?
Sabe que o TAMIFLU apenas alivia alguns sintomas da gripe comum?
Sabe que a sua eficácia no tratamento da gripe comum está a serquestionada por grande parte da comunidade científica?

Sabe que perante um SUPOSTO vírus mutante como o H5N1, o TAMIFLU apenas aliviará alguns sintomas?
Sabe quem comercializa o TAMIFLU? Laboratórios ROCHE. Sabe a quem a ROCHE comprou a patente do TAMIFLU em 1996?

À GILEAD SCIENCES INC. Sabe quem era o presidente da GILEAD SCIENCES INC. e principal accionista? DONALD RAMSFELD, ex Secretário da Defesa norte americana no governo Bush. Sabe que a principal base do TAMIFLU é o anis estrelado? Sabe quem é que detém 90% da produção da árvore de anis estrelado? ROCHE.

Sabe que as vendas do TAMIFLU passaram de 254 milhões em 2004 para mais de 1.000 milhões em 2005? Sabe quantos mais milhões pode ganhar a ROCHE nos próximos meses secontinuar este negócio do medo?

O resumo do negócio é o seguinte: os amigos de Bush decidiram que um fármaco como o TAMIFLU é a solução para uma pandemia que ainda não ocorreu e que causou 100 mortos no mundo inteiro desde há 9 anos. Este fármaco não cura nem sequer a gripe comum. O vírus não afecta o ser humano em condições normais. Ramsfeld vende a patente do TAMIFLU à ROCHE e esta paga-lhe uma verdadeira fortuna.

A ROCHE adquire 90% da produção do anis estrelado que é a base do antiviral. Os governos do mundo inteiro sentem-se ameaçados por uma pandemia e compram à ROCHE quantidades industriais deste produto. Nós acabamos por pagar o medicamento, e, Ramsfeld, Cheney e Bush fazem um belo negócio...

Agora pergunto: ESTAMOS LOUCOS, OU SOMOS TODOS IDIOTAS? (Kb)

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

FRONTALIDADE

José Saramago afirmou hoje, em Penafiel, que "a Bíblia é um manual de maus costumes, um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana".

"Sobre o livro sagrado, eu costumo dizer: lê a Bíblia e perde a fé!", disse o escritor, numa entrevista concedida à Lusa, a propósito do lançamento mundial do seu novo livro, intitulado "Caim", que se realizou no Museu Municipal de Penafiel, perante uma assistência de cerca de 800 pessoas, integrada na programação do festival literário ESCRITARIA 2009, que homenageia o autor de "Memorial do Convento".

"A Bíblia passou mil anos, dezenas de gerações, a ser escrita, mas sempre sob a dominante de um Deus cruel, invejoso e insuportável. É uma loucura!", afirma o Nobel da Literatura de 1998, para quem não existe nada de divino na Bíblia, nem no Corão.

"Horror" das guerras de religião
Saramago sublinhou que "as guerras de religião estão na História, sabemos a tragédia que foram".
Considerou que as Cruzadas são um crime do Cristianismo, morreram milhares e milhares de pessoas, culpados e inocentes, ao abrigo da palavra de ordem 'Deus o quer', tal como acontece hoje com a Jihad (Guerra Santa).

Saramago lamenta que todo esse "horror" tenha feito em nome de "um Deus que não existe, nunca ninguém o viu".
"Isto é completamente idiota"

"O teólogo Hans Kung disse sobre isto uma frase que considero definitiva, que as religiões nunca serviram para aproximar os seres humanos uns dos outros. Só isto basta para acabar com isso de Deus", afirmou. Salientou ainda que "no Catolicismo os pecados são castigados com o Inferno eterno. Isto é completamente idiota!".

"Nós, os humanos somos muito mais misericordiosos. Quando alguém comete um delito vai cinco, dez ou 15 anos para a prisão e depois é reintegrado na sociedade, se quer", disse.

"Mas há coisas muito mais idiotas, por exemplo: antes, na criação do Universo, Deus não fez nada. Depois, decidiu criar o Universo, não se sabe porquê, nem para quê. Fê-lo em seis dias, apenas seis dias. Descansou ao sétimo. Até hoje! Nunca mais fez nada! Isto tem algum sentido?", perguntou.

Para José Saramago, "Deus só existe na nossa cabeça, é o único lugar em que nós podemos confrontar-nos com a ideia de Deus. É isso que tenho feito, na parte que me toca".
(Eu concordo que Bíblia compila episódios de guerra pela imposição do sagrado sobre a vida das pessoas ou seja a imposição de um poder de partido único. KB)





sexta-feira, 16 de outubro de 2009

COISAS DA MODERNIDADE

CASO


2º CASO

Essa pergunta foi a vencedora num congresso sobre vida sustentável.


"Todos pensam em deixar um planeta melhor para os nossos filhos... Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

sábado, 10 de outubro de 2009

Vindo do Indico


Os dois mais pequenos e MELHORES contos de fadas do mundo!!!

Conto de fadas nº 1 para mulheres do séc. XXI


Era uma vez uma linda moça que perguntou a um lindo rapaz:

- Você quer casar comigo?

Ele respondeu prontamente: NÃO!

E a moça viveu feliz para sempre, foi viajar, fez compras, por queconheceu muitos outros rapazes, visitou muitos lugares, foi morar na praia, comprou outro carro, mobilou sua casa, sempre estava sorrindo e de bom humor, nunca lhe faltava nada, bebia cerveja com as amigas sempre que estava com vontade e ninguém mandava nela.

O rapaz ficou barrigudo, careca, o pinto caiu, a bunda murchou, ficous ozinho e pobre, pois não se constrói nada sem uma MULHER.


Conto de fadas nº 2 para mulheres do séc. XXI


Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã.

Então, a rã pulou para o seu colo e disse:

- Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas uma bruxa má lançou-me um encanto e eu transformei-me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar connosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre...
E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã au sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava:

- Nem fo....den...do!

(De Luís Fernando Veríssimo)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

ImélDoGuita


O AMENDOIM.


Um Homem estava a beber cerveja, e a comer amendoins e a ver TV na sala, 'vigiando' a filhinha de 13 anos que namorava na varanda.
Cheio de sono, a cerveja fazendo efeito, começa a coçar o ouvido com um amendoim até que a casca do amendoim parte e o caroço de amendoim fica entalado no ouvido.
O Homem fica desesperado, começa a tentar tirar o amendoim com o dedo e empurra mais para dentro!
Pega uma tampinha de caneta Bic e merda, o amendoim entrou mais ainda.
Nisto o Homem já estava louco, gritando, chamando a mulher, que veio correndo, que apavorada já queria levar o marido bêbado para o hospital.
O Homem não queria - que merda! - Sou um Homem de posição, não posso me expor ao ridículo, etc... A filha e o namorado (de 17 anos...) entram na sala para ver o que estava a contecendo. - Pai, que é isso! Que vergonha! O gaiato (namorado da filha):
- Calma, que eu resolvo o problema! Quando era escuteiro, era eu que socorria os amigos!

O entalado, que estava feito parvo, apavorado, e agora puto com aquele sujeitinho a dar palpite, acabou por aceitar ajuda. O sujeitinho mete dois dedos no nariz do sogro, e diz:

-Fecha a boca e sopra pelo nariz com bastante força!!!

E não é que o maldito amendoim saiu do ouvido? O namoradinho sai todo convencido, a filha toda apaixonada, e a mulher encantada com o eficientíssimo rapaz, diz para o marido:

- Viu que lindo? Tão calmo, tão controlado nas emergências. O que será que ele vai ser?!?!?!

E o marido, cada vez mais f....dido, responde:

- Pelo cheiro dos dedos do filho da puta, vai ser ginecologista!!!!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Facto Kuarto


Um tronco tranquilo dialoga com tudo o que está á sua volta, incluindo o olhar vago de um pau fincado a lembrar à luz a sombra quando árvore era.
Dez anos atrás escrevia este poema dedicado a Mário Fonseca...
(Da coletanea "Chão terra Maiamo")
Ao Mário Fonseca

Não é corrosivo o hálito desta voz?
Clamando por chafarizes e passeios
Por aquários nos jardins infantis
Pelo verter constante da fonte
Pela corrente eléctrica 24 horas
Por água corrente e potável
Pela conduta das águas negras
Por bebedouros públicos e retretes
Pela recolha e incineração do lixo
Pelo destino útil dos meninos de rua
Pela ocupação sadia dos tempos livres
Por uma pátria exponencialmente grata.

Digo-te...
oh açulador desta miragem.
Na pele amadurecida deste tamborão
basta um fio ateador de coragem.

C’est comme le feu en parade
Un tourbillion en cascade.

Nem o establishment
resignação ou espaços.
Do acaso nem cânticos dos seus buracos.
Nada resistirá l’évidence...
“si le peuple en est capable”
(Kb)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Facto TRES


Agora resta saber em que estação do ano nos encontramos. Se estamos ou entramos em quê.
De tanto propagandear… Verrão 2009… Verrão na Praia… Enceramento do Verrão, a comunicação social propagandeira, que, aqui, afigura-se em autêntica complicação social, vê-se, agora, á broxa e irremediavelmente sem criatividade para o período seguinte – estação sem designação – sé é que há estação do ano na nossa terra - em que dias ventosos poderão vir a intermediar outros mais calmos, mas com o deserto vizinho a querer soprar quente o nordeste em nossa direcção, a querer matar, até certo ponto, a azágua deixada pelo Setembro.

O Verrão ou os Verrões Crioulos, gente, são apostas de quem nada tem a ver com Santiago Norte. E, digo Santiago Norte porque ficou mesmo assim a divisão política desta Ilha. Sim, dizia, que os Verrões são chavões propagandísticos ditos gratuitamente por aqueles que não conhecem e nem querem conhecer o que é o cá dentro, passando a vida a imitar e a importar reclames tóxicos produzidos em outras latitudes, querendo ser protagonistas de novas coisas.

Porra! Fez-se tanta propaganda gratuita á volta de tanta "merdice" e não houve um só momento dedicado à necessidade da plantação de árvores no molhado de Setembro. Diaxi Nhô.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Facto DOIS


O dia a seguir a entrada da cabeça da cheiona que elevou o nivel da albufeira. 24 dias depois estava assim a lagoa fincada nos braços da Ribeira Seca, Terra de Nácia Gomi.






Um lugar lindo e aprazivel, um lindo paradouro para se estar e apreciar a paisagem. Aqui, todos os anos, a crise morre de angustia por nunca ter podido fazer baixar os braços destes valentes fazedores do lavradio.


É a antevisão poética a consumar-se:


lavrador di nha terra N ten fé


ma água ta volta pa lavada


pa bu podi trabadja bu txon


sen ideia ma bu ten patron


(Bk)

Facto UM






É mais um Liceu construido e inaugurado em Santiago Norte - Picos.
Um belo edifício, uma linda escola inserida numa bela paisagem, empreendimento que calou fundo na alma dos salvadorenhos e dos que assistiram no dia 04 de Outubro de 2009 à sua inauguração.
Escola Secundária - Carlos Alberto Gonçalves - ao serviço da juventude dos Picos. Pois, a convite da direcção da escola aceitei ser o Padrinho e vou dar tudo de mim para ajudar a escola a atingir os objectivos traçados para este ano lectivo de 2009/10.
Nós aqui falamos das dificuldades sem lamentos e estudamos a forma de as vencer com argumentos.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

TERA DE ABERAÇÕES 3

Ainda a propósito dos doutorados crioulos.
Há algum tempo atrás o vereador porta-voz da Câmara Municipal de Assomada, formado e com mestrado, respondendo a uma denúncia, lia um documento, escrito ou não por ele. Foi uma vergonha. Vergonha para Assomada e para Santa Catarina. Lia e as palavras pareciam temer os dentes, a língua e os cantos da boca. Muito atrapalhado estava o porta-voz discursando em língua portuguesa. Se calhar é um desses doutores a mais na nossa terra de que se falou no LiberalOnline.

Há bem poucos dias a vez foi do médico do Centro de Saúde de Ponta d’Água a mostrar sérias dificuldades em falar o português e a explicar de forma clara a razão porque tinha entrado água da chuva pelo tecto do edifício novo, invadindo os compartimentos e a deixar os utentes sem atendimento adequado.
Francamente. Baixei a cara não sei se de mal-estar ou coisa parecida.
Grande quantidade de… ou abundância de… dá em móia.
E quando há móia a qualidade é duvidosa. (Kb)

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

TERA DE ABERAÇÕES 2

“Há doutores a mais em Cabo Verde” felizmente o articulista escreveu doutores com o “d” minúsculo.
Se o David Hopfer Almada o disse, é uma afirmação que deverá ser bem avaliada.

Que os há, há. E bastantes. Caso a sociedade em que vivemos não fosse alimentada pela atitude demagógica de uns tantos e fossem eles menos hipócritas, possivelmente, a qualidade da terra, dos homens e de vida hoje constatadas teria pulmões sadios para nadar milhas e mais milhas em direcção ao rendimento médio do país ao nosso alcance. Mas não. Samos o que semos.

Somos uma terra de Desabafos. Mas só uns podem fazê-lo, deitando para cima dos outros as suas bugigangas. Há muita incoerência porque há gente inconsequente. Mas o pior é que há muita falta de autenticidade nesta terra. O caboverdiano teme ser autêntico. Aqueles que procuram sê-lo, as suas atitudes são rapidamente rapinadas e conotadas com tudo e mais alguma coisa.
Nesta terra assistimos muito à falta de sentido de pertença. É uma doença que se agrava cada dia mais. Contrariamente, aqui atrapalha-se e confunde-se tudo, porque, justamente, há doutorados a mais e de toda a gama. É resultado da muita mistura e da pouca distrinça entre o que é favo e fava.
(veja o post seguinte). Kb

terça-feira, 11 de agosto de 2009

AURA DA RUA

ELES, OS RUANDARILHOS

Passamos pelos sítios seja onde for,
Ruas dentro e fora do nosso corpo
Seduzem-nos os olhos a nutrirem cenas
Dos esqueletinhos desventurosos
Outros com o olhar distante como vitrinas,
Expondo-se para ganharem moedas.
Em surdina, dizemos:
Que dó. Vamos e voltamos de novo. Repetimos.
Eles, tudo na mesma.
É como se nós fossemos:
Os não sujos,
Os que têm onde ir e estar,
Os sem trapos,
Os com estudo,
E eles os sem amor,
Sem caminho,
Com a cicatriz da rua no seu destino
Nós! Tudo temos ao contrário.
Uns muito mais e outros ainda mais.
Conforto e carteira para gastar.
Braços que dão amor e carinho,
Festas e entretenimento.
Mas há espanto nisso tudo.
Enquanto divertimos e gastamos
Eles farejam-nos o interior dos gestos,
Como se fossem mais alma as nossas.
Se tudo é tanto nosso como a deles.
Qual Direito de receberem olhares de medo e desprezo,
Se todo o rosto é igualmente parido.
Qual Direito de os seus direitos
Virem lindamente nos Estatutos e na Constituição
Se não passam de juras velhas e gastas.
Qual Direito de a sociedade fechar os olhos
E esperar que Deus os livre destes infortúnios.
Eles, os RUANDARILHOS.
Que, ainda assim, flores da nação cantarolamos.
BK

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

TERA DE ABERAÇÕES


VERRÕES TURRÍSTICOS CV

Descuido não é certamente. De propósito também não deve ser. Raízes étnicas longínquas? Talvez!... A má apropriação das palavras, do seu sentido e da pronúncia, deve ser, seguramente, uma das razões por que se desconfia do ALUPEC e é levado com xuxadeira.

Em certos lugares de venda de petiscos escreve-se nas tabuletas em português:
TEMOS MORREIA; PERNA AÇADU; CACHUPA GUIZADO; PEXE FRITO – TUDO BARRATO
Nas rádios e televisões diz-se em português:
Durrão Barozu; Barraki Obáma; Verrão 2009; Rádio (r) rastado.
Reziste Predial; Reziste de nascimente; Todoj oj anos temoj o horrário único.

Pior do que isso é admitir e propagandear que há VERRÃO no arquipélago lá porque o tempo vira quente e húmido por causa do período das chuvas. Na geografia do tempo das ilhas sabe-se que elas estão sob as influências do período seco ou das brisas e período quente das chuvas ou das águas.

Que verão turístico (propagandeado) é este sabendo que:
1. Em finais de Julho até Outubro sobem as monções do sul para a nossa zona, um convite ao convívio com o calor húmido e a espera das chuvas.
2. Chovendo, as cheias inundam a boca das ribeiras enlodam e enlixam a beira-mar.
3. É período do mar grosso que mata todos os anos em kebra Kanela, Prainha, Gamboa e San Francisco.
4. É período das moscas, das diarreias e do paludismo.

Podemos alguma vez vir a CORIGIR essas coisas incluindo essa mania de VERRÃO inexistente em Cabo Verde, para…. Tempo de Azágua ou Período/Ocasião/ Quente?
Esta é uma tera de aberações.

domingo, 9 de agosto de 2009

ESCRITA NA RUA


O MEU AMOR PELA JOIA

A noite estava fresca e a vila rescendia de um mesclado em que o cheiro da buganvília, do eucalipto e de flores dos arbustos que vinha das redondezas, se misturava ao perfume subtil do refogado que a essa hora, na maioria das casas, revigorava o caldeirão de kaxupa a cozer em lume brando. As noites de Assomada ofereciam a qualquer um o mais belo céu estrelado do mundo.
Tinha saído de dentro de casa nesse instante, como era costume, para o quintal, onde um gracioso pessegueiro marcava o seu centro. Desde que vi, pela primeira vez, a moça de Pedra Barro, alguém que passou a representar um pedaço da minha existência, o pilão onde sempre me sentava passara a ser uma espécie de local de estágio das minhas fantasias. As cenas ali recompostas pareciam autocolantes de alta gama e cada vez mais sedutores. Eram películas tão efectivas como se as raízes do meu tutano tivessem urgência em se nutrir dessa obcecação que insistia malhar-me a cabeça em constância.
Tudo começou quando no fim das missas de Domingo colocava-me estrategicamente num ponto, para poder controlar os movimentos dessa moça, para lhe dar a perceber claramente o meu interesse por ela. As raparigas daquela idade davam-se por respingonas, por bravas mesmo. Primeiro pelo medo de serem vistas junto aos rapazes pelos pais ou gente conhecida, e segundo pela forma rígida como eram educadas. Ao sair da igreja ela passava por mim sempre a correr, sempre a correr e não era fácil detê-la, para atender quem quer que fosse. As minhas cartinhas que uma antiga colega de escola levava para ela surtiam pouco ou nenhum efeito. Esta situação manteve-se até o dia em que resolvi mesmo ir esperá-la à esquina da casa de Nha Clara, na boquinha da tarde, a seguir à missa da tarde. Ali fincado, espiando, espreitando vezes sem conta, avistei-a no meio de colegas a vir, e preparei-me para a abordagem. Era a minha primeira tentativa do género.

(Do livro - DESCANTES DA MINHA RIBEIRA -) KB

Textos Exilados

POEMAS DA COLETÂNEA - TERRA DILECTA  - CAMINHOS CANTANTES -  NÃO PUBLICADOS 1 Julho de remotos Julhos. Cíclicos Julho...