quarta-feira, 26 de março de 2008

Duas Finatas à MulherCV


Finata 16

Tenba mudjer árvi di grasa di tudu instanti
Furfuridu na ventu y na sol ratxadu sofredu
El fonti di seiva pa nasenti di vida konstanti
Ki satadja y rabida sen konta na fiu di medu
Rasguardu-l stória y di txeu rumoris distanti
Pó, sustentu palavra grandis fidjus y netus
Si don ki da mondon é mudjer forja-l distinu
Si verdi da verdianu nton el k’é dornu ninhu



Finata 17

Dadu pa tudu kondison di natureza el é parti
Na sirbintia di tudu partu ki finkadu gerason
Odju di kantu situason n'el postu pa raparti
Si korpu na krer na dizeju segu-l Sinhor Don
Disputadu na tabanka lotiadu na rota grandi
Sima ki el é praga ki marka dor na tudu txon
Skrava é konxa-l mimória ki boia na tenporal
Mudjer é mai ki da téra fidju-l Téra pa toma-l
(In Konfison na Finata - Kb)

3 comentários:

Alex disse...

Kaká, eu não lhes escrevo Finatas como tu, mas sou um FINÁTICO delas, meu.
Ab
ZC

Carlos Alberto (Kaka) Barboza disse...

Oi Alex
Atento aos teus coments. Também sou um finatico varrido delas. Fica 1abrçº kb

Carlos Alberto (Kaka) Barboza disse...

Oi Alex
Atento aos teus coments. Também sou um finatico varrido delas. Fica 1abrçº kb

POEMAS MARGINAIS

                                                DEIXEM O PATIO FESTEJAR E DANÇAR Festeja e dança o meu pátio Até embebedar a mã...