quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Dâ Lónga


No dizer de Santiago lónga é igual a passo. Lónga grandi = passo largo. Há longa = dar. Longa-m kel kuza = dá-me ou passa-me aquela coisa.  Vista esta introdução vamos ao seguinte:

Periodicamente surge em Santiago, localizadamente na Praia, o chamado kontu nobu ou seja cria-se uma palavra ou uma frase curtíssima que sintetiza magistralmente um dado facto ou um dado acto.

Por exemplo; kassubódi, espádja pé, gravata, grampo, soco na rosto, kutubelada, banhada etc. Cada lugar no mundo deve ter este tipo de brincadeira que a giria popular codifica para economizar a fala.

O Meu filho contou-me isto: Dois amigos sentados á mesa numa esplanada conversavam e tomavam um refrescante. Havia mais gente e alguns lugares vazios. Entretidos na conversa, três conhecidos, amigos entre aspas, aproximarem-se deles. Os seus punhos cerrados tocavam-se em sinal de cumprimentos. Pediram para ficarem juntos sentados e assim aconteceu. Habituados ao ambiente, os recém chegados mandaram vir pizza, cola e cerveja. Comeram, falaram e riram-se avontade. No meio da conversa animada um dos chegados pediu licença para atender uma chamada no seu móvel. A seguir, a sinal do primeiro, o outro fez o mesmo. Instantes depois, o último levantou-se, fingiu chamar a empregada, tomou balanço e deu lónga, quer dizer, foi-se embora.

Como os três rapazes não voltavam aos seus lugares os dois amigos restantes começaram a ficar preocupados. Com um sinal pediram a conta à empregada. O papelinho dobrado no pires de porcelana ditava a soma de 1 260$00. Olharam um para o outro espantados. - E os outros? Disse um deles. – Sim! Os outros! Repetiu o colega. - Porra! Não me digas que os filhos da mãe dâ longa e deixaram a conta de nossa conta. - E agora! Entreolharam-se.

Desconfiada, a empregada de mesa, receando arcar com tal responsabilidade, entrou e avisou logo o dono do lugar que teve de sair no imediato para tomar conta da situação e decidir o que fazer com esses dois. Tratando-se de jovens e filhos de gente conhecida e moradora na vizinhança da esplanada combinaram que o saldo da conta seria liquidado no dia seguinte sem falta.
Eis o flagrante de como se dá longa. Um termo novo para uma esperteza também nova.
Olha a malandragem... dizia o Mario Lúcio. Kb 

Sem comentários:

Prefácio da obra Gruta Abençoada

NOTA DE LEITURA Boa Entrada é tudo menos lugar erótico, mas, sim, uma ribeira exótica e cativante, situada na margem direita da sed...