sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O NOVE do Ano NOVO

Ó malta!
Não acredito no NOVE do 2009. O Ano Novo do NOVE trouxe a muitos mais, mas sobretudo aos Gazenzes a mais incrível prenda… a «Operação Chumbo Fundido», desencadeada por Israel. Enquanto o Mundo, nós, festejávamos com alegria o presépio e a chegada do novo ano, eles e vários outros às escuras e com ruas desertas, sem água e sem electricidade, sem esperança e mergulhados no inferno. Mais não precisa ser dito.
E não me venham dizer que as guerras não depuram, se Deus e Diabo hão de sempre confrontar cá na terra, usando os homens nas suas terras santas.
Então não é bestial ver e assistir projécteis matador riscando velozmente o ar em direcção a alvos animados e corpóreos que em fracção de minutos derretem as paredes, ruem os corações, enchem os cemitérios de caveiras e os hospitais de futuros inválidos.
Alguma vez repararam bem a cara dos negociadores das tréguas, cessar-fogo etc.
Alguma vez pesaram bem as prostituídas frases «é preciso o dialogo»; «lançou o apelo à paz» etc. De mim vão saber isto: Quando a guerra enrija e enriquece a terra o espírito sobe à serra.
O NOVE vai cumprir a sua missão.
Doravante, só escreverei sobre Ami.
KBarboza

Sem comentários:

Textos Exilados

POEMAS DA COLETÂNEA - TERRA DILECTA  - CAMINHOS CANTANTES -  NÃO PUBLICADOS 1 Julho de remotos Julhos. Cíclicos Julho...