quinta-feira, 13 de agosto de 2009

TERA DE ABERAÇÕES 2

“Há doutores a mais em Cabo Verde” felizmente o articulista escreveu doutores com o “d” minúsculo.
Se o David Hopfer Almada o disse, é uma afirmação que deverá ser bem avaliada.

Que os há, há. E bastantes. Caso a sociedade em que vivemos não fosse alimentada pela atitude demagógica de uns tantos e fossem eles menos hipócritas, possivelmente, a qualidade da terra, dos homens e de vida hoje constatadas teria pulmões sadios para nadar milhas e mais milhas em direcção ao rendimento médio do país ao nosso alcance. Mas não. Samos o que semos.

Somos uma terra de Desabafos. Mas só uns podem fazê-lo, deitando para cima dos outros as suas bugigangas. Há muita incoerência porque há gente inconsequente. Mas o pior é que há muita falta de autenticidade nesta terra. O caboverdiano teme ser autêntico. Aqueles que procuram sê-lo, as suas atitudes são rapidamente rapinadas e conotadas com tudo e mais alguma coisa.
Nesta terra assistimos muito à falta de sentido de pertença. É uma doença que se agrava cada dia mais. Contrariamente, aqui atrapalha-se e confunde-se tudo, porque, justamente, há doutorados a mais e de toda a gama. É resultado da muita mistura e da pouca distrinça entre o que é favo e fava.
(veja o post seguinte). Kb

Sem comentários:

RAPIZIUS

            Adivinhem! O Boeing dos TACV gemia em pleno espaço em direcção às ilhas. Estou a três horas de Boston no seat five...