sábado, 10 de setembro de 2011

Téra de Aberações - Verron

Wikipédia diz:

O arquipélago de Cabo Verde está localizado na zona sub-saheliana, com um clima árido ou semi-árido. O oceano e os ventos alíseos moderam a temperatura. A média anual raramente é superior a 25 °C e não desce abaixo dos 20 °C. A temperatura da água do mar varia entre 21 °C em Fevereiro e 25 °C em Setembro.

As estações do ano são fundamentalmente duas: as-águas e as-secas ou tempo das brisas.

A estação chuvosa, de Agosto a Outubro, é muito irregular e geralmente com fraca pluviosidade, em especial nas ilhas de São Vicente e Sal, onde tem havido vários anos seguidos sem chuva. As ilhas mais acidentadas, como Santo Antão, Santiago e Fogo, beneficiam de maior pluviosidade.

A estação mais seca, de Dezembro a Julho, é caracterizada por ventos constantes. A chamada bruma seca, trazida pelo vento harmatão das areias do Saara, chega a provocar a interrupção dos serviços nos aeroportos. (Wikipédia).

Estranha-me muito o facto de as entidades oficiais, as escolas e a comunicação social que costumo apelidar de complicação social, aceitarem impingir-nos a radiosa ideia de que em Cabo Verde existe o verão, ficando de fora as outras estações do ano, como se o tempo quente e húmido de Agosto e Setembro significasse o badalado Verron. Veja-se os horários de verão, festas de verão, discos de verão e outras verronicidades que mais não significam senão drageias alienantes que acabam por embrutecer em vez de esclarecer.


De notar que os passeios de verron em São Francisco matam meninos todos os anos levados pelos seus professores ou seus pais, que o mar de verron em Quebra Canela faz o mesmo todos os anos justamente por se apelidar o período das águas, em que o mar muda de têmpera, de verão, estação das praias, que, no nosso caso, com as cheias tornam-se em areais depósito de lixo e merdas deitadas nas ribeiras.

É li ki si ta bira ka si – já o tinha cantado em Txon di massapé. KB

1 comentário:

Anónimo disse...

Os alísios embatem bafos quentes de litorais brasileiros. Destemidos cruzam os mares, por osmose sugam-lhes a umidade, carregam altivos alimentos de chuvas-mães de grandes bacias hidrográficas. O harmatão não faz esta caridade. Farrista, arruaceiro e avacalhado, sopra quente e chamusca de areia pegando fogo pobres países que circunvizinham seus nascedouros nas bocas-de-forno das imensidões do intrépido deserto do saara...:)

RAPIZIUS

            Adivinhem! O Boeing dos TACV gemia em pleno espaço em direcção às ilhas. Estou a três horas de Boston no seat five...