segunda-feira, 14 de abril de 2014

Da Colecção Floris d'Ibyago

O BEIJO
 
Neste dia de Abril sem o beijo teu
A brisa teima em vão serenar a frol
No jardim de outrora em apogeu.

A janela sem a menina do olhar teu
É trilho perdido no último raio de sol
Sem jamais regressar ao mesmo eu.

Noitinha é hora em que se levantam
Os grilos e se deitam as borboletas
Entre pedra e folha as horas pesam.

 
O beijo que me ficou na lembrança
Devia pombo-correio ser não borboleta
Seria de júbilo o outro dia e de crença.

K. Barboza

Sem comentários:

Poemas do Litoral

ESPELHO D'ÁGUA EM ARCOS DE PEDRA Dois retractos do antigo Dezembro à janela do presente mirando o desmoronar do tecido verde das ...