quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Poemas em Setembro


barragens transbordando
a conjugar o ano de azágua

o calendário em equilíbrio
no cabo das enxadas
as raizes nas mãos da lama
abrem a evidencia das flores
debaixo do sorriso do poeta
o mar engole a palavra - seca

Sem comentários:

Textos Exilados

POEMAS DA COLETÂNEA - TERRA DILECTA  - CAMINHOS CANTANTES -  NÃO PUBLICADOS 1 Julho de remotos Julhos. Cíclicos Julho...