terça-feira, 26 de agosto de 2014

FLORIS D'IBYAGO


TESTEMUNHO POÉTICO

 
Chegas voando
Partes voando
Levas-me voando para não sei onde.

Abraçamo-nos voando
Separamo-nos voando
Num sobe e desce vagabundo.

Fico voando 
Neste longe como insecto errante.
Ficas voando
Indiferente além no incontinente.

Voa o dia
Cai o negro na janela da sala
E o pobre jardim adormece.

Voa o voo
Cai o momento desvivem as asas
E o pobre poema permanece.
E eu: testemunho.

 K Barboza

 

Sem comentários:

Poemas do Litoral

ESPELHO D'ÁGUA EM ARCOS DE PEDRA Dois retractos do antigo Dezembro à janela do presente mirando o desmoronar do tecido verde das ...