quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Outubro Poético

O desafio
É covardia de quem o dita
e valentia de quem o aceita.
Um percorre o fio do medo
o outro doma-o

O desafio
à vontade dita não pertence.
À de rija fibra unicamente.
Esta não escolhe o momento
o dia a noite o sol e o vento

O desafio
É brio desabrido num fio
                          (de faca)

                                                                       Poema do livro ChãoTerra Maiamo já publicado.

Sem comentários:

ESTE VÓMITO FOI-ME DEDICADO PELO GRANDE ESCRITOR E POETA LUSO-CRIOULO - JOSÉ LUIS TAVARES - DOMINADOR DA LÍNGUA DE BOCAGE E EXÍMIA PENA CAÇ...