quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Outubro Poético

O desafio
É covardia de quem o dita
e valentia de quem o aceita.
Um percorre o fio do medo
o outro doma-o

O desafio
à vontade dita não pertence.
À de rija fibra unicamente.
Esta não escolhe o momento
o dia a noite o sol e o vento

O desafio
É brio desabrido num fio
                          (de faca)

                                                                       Poema do livro ChãoTerra Maiamo já publicado.

Sem comentários:

Textos Exilados

POEMAS DA COLETÂNEA - TERRA DILECTA  - CAMINHOS CANTANTES -  NÃO PUBLICADOS 1 Julho de remotos Julhos. Cíclicos Julho...