sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Dedicatória a Outubro Ingrato


                                    IRREVERSÍVEL RIBEIRA

                                                 Irreversível ribeira. Espinho ou espiga.

                                                 Minha vontade “carapati” não fenece.

                                                 Resiste apenas. Sim. Não transluz

                                                 Desejo de fugir e além acomodar.

                                                 É cada vez alta pedra e mais penedo

                                                 Que não se perturba e não permuta.

                                                 Inteiro e natural. Visão de rochedo.

                                                 Percursos feitos no fio da "camuga".
                                       
                                                Bk.

Sem comentários:

Poemas do Litoral

ESPELHO D'ÁGUA EM ARCOS DE PEDRA Dois retractos do antigo Dezembro à janela do presente mirando o desmoronar do tecido verde das ...