sábado, 3 de outubro de 2015

Poema ao Pescador de Imagens


Leitura possível do quadro de David Gomes - Pescador de Imagens

Lustro da água, sono de cegonha, céu inverso, rosto do sol, lençol expectante, silencio na pauta.
Eis o dia em que corre água para o monte, preditas várzeas deixaram de ser deserto nas mãos do morador.
Eis o acontecer da terra, pactos alçados no molhado, cabo esverdinhado, cântico no olho do entardecer.
Homem, pão, gado, aves, estrada, ilha, crenças cativa na água lisa do poema.


Sem comentários:

Txabeta Em Estado de Alerta

                                                                                                                                     ...