sábado, 10 de março de 2012

Bai Palavra = Vai Palavra


Venho por esta via manifestar o meu contentamento pela realização do programa celebrativo do Dia da Lingua Materna, mantido e levado a efeito pela UNIV-CV.

Há uma vintena de anos atrás atrevi-me a acreditar que era possível celebrar na nossa língua nativa a palavra oral e escrita de forma digna e respeitada.

E aí está ele, o dia sonhado, o dia da Lingua Materna que transitada da simples oralidade e da oralidade da escrita para o patamar moderno isto é da sua escrita convencional, assente em um alfabeto próprio, para uma literatura convincente, estando na sua base o seu ensino, cá nossa terra, assumido de forma categórica pela nossa Universidade Pública, onde as aprendizagens e as abordagens se processam adentro dos parâmetros científicos.

Por tudo isso, junto-me a todos vós organizadores que decidistes enaltecer o dia, o trabalho feito e a contribuição dos utilizadores da língua materna nos seus escritos, composições musicais e outras impressões gráficas. Bem hajam.

Obrigado pela oportunidade que me foi dada para apresentar a minha experiencia na mesa redonda sobre - Literarura em Lingua Caboverdiana -.

KB



Sem comentários:

Txabeta Em Estado de Alerta

                                                                                                                                     ...