terça-feira, 8 de abril de 2008

O Principe dos Picos


Há praticamente um ano que este veterano de Santiago, mais concretamente este querido filho e amigo dos Picos inaugurava frente à sua casa, a rua com o seu nome - Rua Orlando Loff Brito.





Na altura disse-me: «Este rapazinho (João Batista Pereira) vai longe.
Ele é inteligente e muito cordial. Muito trabalhador também».



Orlando Brito, Principe dos Picos como eu o chamava, morreu com festas de São Savador do Mundo à Porta. Diz o ditado popular que: «gente que morre em dia de festa amanhece na glória». Contemporâneo do meu falecido pai, Orlando Brito, era natural dos Picos, ilha de Santiago, onde ele criou amizades e deixou marcas inapagáveis. Em sinal de reconhecimento o município atribuiu a uma longa e bonita rua o seu nome. Finda a inauguração ele convidou-nos a entrar, para o lanchezito que tinha mandado preparar (café, pasteis de milho, carne de porco assada, linguiça da terra e um groguezinho). «Gosto de oferecer coisas, pequenas prendas às pessoas». «Antigamente eu vinha mais vezes. Não passava os fins de semana na Praia. Era Picos. Os meus amigos sabiam disso e vinham cá ter. Domiam e voltavam no dia seguinte. O teu pai Bebeto, o Táta Lubrano, esses vinham sempre». Ele gostava e adorava as coisas belas da vida.
Achada Igreja, Picos e Assomada e Santa Catarina, nós todos te louvamos e dizemos-te adeus.

1 comentário:

Isabel disse...

Fiquei muito comovida com as palavras tão bonitas e sentidas que escreveu.
Sou a filha mais velha do "Príncipe dos Picos", como chamou ao meu querido e saudoso pai.
Saudações crioulas.
Isabelinha (como diria o meu pai)

RAPIZIUS

            Adivinhem! O Boeing dos TACV gemia em pleno espaço em direcção às ilhas. Estou a três horas de Boston no seat five...