sábado, 1 de julho de 2017

Poemas Marginais (Julho)



JULHO EM EMERGÊNCIA

Julho de madrugadas e gritos
Julho de antemanhãs de Julho
Julho pátria de todos os sonhos 
Julho berro de luta e liberdade
Julho estandarte de incitação
Hasteado nas praças da ilha 

Julho de idos e vindouros Julhos
Julho de antigos braços erguidos
Julho de cânticos corpo de bronze
Julho de céus e mares das ilhas
Julho voz plantada na memória
Resgatado de noites de vigília

Mesmo que as arbitrariedades
Os atropelos e as injustiças  
Enfermam a terra e os homens   
Mesmo que a bravura esmoreça
Mesmo que tudo desaconteça
Serás sempre o ardor da luta  

Oh! Insígnias de jurado Julho!
Oh! Julho meu! Oh! Julho nosso!
Ainda trazes ritmado nos passos
A trova e a pauta dum canto novo?
Ainda trazes no ventre a certeza
Que me orgulha chamar-te Pátria?


Sem comentários:

Textos Exilados

POEMAS DA COLETÂNEA - TERRA DILECTA  - CAMINHOS CANTANTES -  NÃO PUBLICADOS 1 Julho de remotos Julhos. Cíclicos Julho...