sábado, 6 de junho de 2015

Poema de Circunstância


 

Para a presada amiga e Professora Catarina Cardoso,
poetisa em processo adiantado de ser livro.

 

Leio nesta janela, janelas
janelas vidraça de coisas e risos
dos mais sinceros aos mais absurdos
janelas de amizades
janelas de amigos para amigos
repleta de símbolos e sentires.

Anteontem li coisas desgostáveis
Antoje vi fotografias gostáveis
E hoje mensagens amoráveis.

O que na janela ver mais interessa
É a nudez da borboleta a esta hora
Compondo aleares policromos
Sonhando janelas
doutros mundos
doutras gentes
doutros lugares
e doutros corações

Na minha
Tudo é virtual
Na dela
o meu rosto é real
na sempre janela
vidraça de coisas e sentires
dos mais sinceros aos mais absurdos
janelas de amizades
janelas de amigos para amigos
repleta de símbolos e sorrisos.

KB

Sem comentários:

Poemas do Litoral

ESPELHO D'ÁGUA EM ARCOS DE PEDRA Dois retractos do antigo Dezembro à janela do presente mirando o desmoronar do tecido verde das ...