terça-feira, 14 de abril de 2015

LIVRO EXPRESSÃO DO ESPÍRITO

 
 
O FB fez as contas e atribuiu-me 31 anos de idade interior, o que significa, que dentro da minha cabeça, nem a dita idade de Cristo atingi, portanto, sou novo ainda, mas um novo que já viu muita coisa e atento a o que se faz aqui nas ilhas, TORTO E DIREITO.

Todos sabem que o livro é como uma estrada para todos. É uma unidade que o autor ou a editora coloca à disposição do público para desfrutar a seu belo prazer.

Mas porque será que um livro tem de ser apresentado ou lançado, FATEADO, quer dizer de fato e gravata, cerimonioso como se de missa tratasse, como se o livro fosse BÍBLIA, coisa de outro mundo, TIDO como coroamento do eruditismo de quem se atreveu explorar o dom da escrita ou a sua capacidade de observação e de registo. Bolas! O livro é expressão do espírito na modéstia da sua evolução permanente.
É uma GAVETA prenhe de (ante) visões passadistas ou futuristas.

 PORTANTO!...
 
O livro é como uma estrada
Caminhada por etapas
Portanto uma respiração pela palavra
Porém um dólmen de papel
Quiçá um candeeiro de saberes.
 
O próximo livro
É prosseguimento da estrada
É respirar contínuo pela palavra
É pele do outro na sua própria pele
Quiçá um poleiro de expores.
kb

Sem comentários:

Txabeta Em Estado de Alerta

                                                                                                                                     ...